Dicas de como envelhecer com qualidade de vida

Dicas de como envelhecer com qualidade de vida

Quando chegamos na aposentadoria, vem a dúvida: E agora?! Como ocupar meu tempo livre? Atualmente, com o aumento da longevidade e saúde na terceira idade, as opções estão cada vez mais variadas. Assim, a aposentadoria é a parte da vida que proporciona a realização de muitos projetos que estavam esquecidos, ou tinham sido descartados há algum tempo.

O envelhecimento não é, de forma alguma, um sinônimo de invalidez, e ocupar o tempo livre com atividades prazerosas ajuda a lembrarmos disso. Afinal, planejar a rotina e ter alguns cuidados afeta diretamente a qualidade de vida de quem está chegando à terceira idade.

Esse texto irá abordar os principais pontos de um envelhecimento com qualidade de vida, dando 6 dicas práticas de como planejar a sua rotina após a aposentadoria. Continue lendo e confira!

Por que se cuidar?

Muitas pessoas se preocupam com a saúde somente quando aparecem doenças ou quando a saúde já está fragilizada. Mas esse é um erro grave. Tomar alguns cuidados, mesmo antes de chegar à terceira idade, ajuda a prevenir muitos problemas.

Hábitos saudáveis são simples de serem seguidos e, com informação e dedicação, todos podem desenvolver boas práticas. Alimentação, atividades físicas e saúde mental são o pilar base para  aumentar a expectativa de vida.

Por isso, leia as 6 dicas de como envelhecer com qualidade de vida.

1. Alimente-se bem!

Cuidar da alimentação pode parecer algo complexo, mas alguns cuidados básicos são fáceis de serem seguidos. Reduzir o consumo de sódio, de açúcar e de gorduras ruins para o organismo são algumas medidas que podem fazer muita diferença.

Pirâmide alimentar para os idosos - Advocacia Alves
A nossa conhecida pirâmide alimentar ainda é validade. Ela nos indica a proporção de quais alimentos devemos consumir e evitar.

Ao invés de optar por alimentos pesados como carne vermelha, alimentos industrializados, doces e farinhas, você pode substituir por versões magras, integrais e naturais. Esses detalhes são uma forma de evitar o surgimento ou agravamento de doenças comuns, como  problemas cardiovasculares, hipertensão e diabetes.

Outro caso recorrente e pouco conhecido, é a desnutrição entre idosos. Para evitar esse quadro, é importante investir em frutas, verduras e legumes que sejam repletos de nutrientes, vitaminas e sais minerais.

Reforçar o cuidado com os nutrientes, previne a osteoporose, artrite e artrose. Ou seja, existem muitas coisas que podem ser melhoradas com uma alimentação saudável, assim, consultar com um nutricionista pode lhe trazer muitos benefícios.

2. Pratique exercícios

Isso você já deve saber, mas é sempre bom lembrar que a prática de exercícios auxilia na prevenção de doenças. Além de melhorar o metabolismo e a disposição, os exercícios físicos deixam o organismo mais forte, o que é muito importante na terceira idade se você deseja ter mais qualidade de vida.

Alguns clubes e academias, oferecem atividades especialmente pensadas nas necessidades da terceira idade, como: manter ou aumentar a força muscular, manter a densidade óssea e melhorar o equilíbrio, a coordenação e a mobilidade.

É interessante buscar lugares que proporcionem essas atividades, e estabelecer uma rotina de exercícios acompanhada por um profissional. Com a prática periódica desse tipo de atividade, você consegue manter a coordenação motora, a flexibilidade, a força e a capacidade cardiorrespiratória, que são essenciais para a sua independência.

Grupo de idosos praticando exercícios físicos em equipamentos públicos - Advocacia Alves
Algumas cidade do Brasil disponibilizam equipamentos para a prática de exercícios físicos. É um ótimo lugar para melhorar a condição física e de socializar com outras pessoas.

Além de atividades que trabalhem o corpo, ter atividades que exercitem a mente também é importantes. Jogos simples, como o “Jogo da Memória” podem lhe ajudar a deixar o cérebro mais forte.

3. Atenção para a saúde emocional

Largar o trabalho, envelhecer e ver os filhos seguindo suas próprias rotinas: existem muitos processos na terceira idade que podem afetar o psicológico. Segundo uma pesquisa feita pelo IBGE em 2013, a faixa etária com maior proporção de depressão é a de 60 a 64 anos de idade.

Portanto, é importante ficar atento aos sinais da depressão. Além da tristeza e do desânimo característicos, algumas atitudes como pessimismo, queixas físicas e ansiedade podem ser um alerta para a doença.

Logo nos primeiros sinais de depressão, é importante procurar a ajuda de um especialista, afinal outros questões da saúde podem ser afetadas, como o controle da diabetes, hipertensão e etc. Assim, na hora do diagnóstico o médico psiquiatra analisa também como estão os órgãos do paciente (fígado e rim, por exemplo), pois eles podem ser afetados pelos antidepressivos.

Para prevenir quadros de depressão é importante evitar o isolamento social, estar sempre em contato com a família e os amigos e buscar atividades recreativas. Outra dica legal é buscar histórias motivadoras para se inspirar. Lembre-se que de maneira nenhuma você é um fardo para as pessoas à sua volta.

4. Ajuda profissional

Como já dissemos anteriormente, a prevenção é sempre a melhor opção de cuidado com a saúde. Por isso, fazer checkups regularmente e buscar o acompanhamento de um geriatra de sua confiança, são medidas essenciais.

Estar sempre sob acompanhamento de um profissional lhe dá vantagem em relação a algumas doenças e melhora a qualidade de vida. Fique atento também a um erro muito recorrente: a automedicação. Além de não recomendada, a automedicação pode ser prejudicial à saúde. Na terceira idade a saúde é mais frágil, e a medicação errada pode ter sérias complicações no organismo.

5. Produtos Assistivos

Um problema que é recorrente com o avanço da idade é a limitação da movimentação. Além de restringente, essa mudança na agilidade pode gerar quedas. Sendo uma das maiores preocupações da terceira idade, as quedas podem produzir traumas e ferimentos graves.

Para evitar todas essas complicações e ter mais qualidade de vida, existem equipamentos assistivos que auxiliam nessas questões. Desde bengalas, até scooters, as opções de produtos disponíveis no mercado contemplam diferentes necessidades. Conheça:

  • Bengalas: Equipamento que fornece um ponto de apoio para o usuário. Ele exige mais força para a locomoção, mas ocupa pouco espaço e é de fácil transporte. Ideal para pessoas que precisam de pouca ajuda na locomoção. Existem diferentes tipos de bengalas: bengalas standard ou normais, bengalas em “T” e bengalas de base alargada.
  • Andadores: Equipamento desenvolvido com três ou quatro pontos de contato com o solo. Ele melhora o equilíbrio do indivíduo por conta da base de suporte, gerando estabilidade e auxiliando na sustentação do corpo ao andar ou permanecer em pé. São mais seguros e, em alguns modelos, oferecem mais funcionalidades: como rodas, que facilitam a movimentação do equipamento, e bancos para descansos durante o percurso.
  • Scooters: Equipamento mais elaborado, com design que lembra o de uma motocicleta. Tem diferentes tamanhos e serve para percursos maiores. É ideal para pessoas que querem fazer passeios longos, ou que não gostam de usar o andador.

Utilizar equipamentos assistivos muitas vezes é tratado com certa resistência por quem precisa, mas isso deve ser desmistificado. Afinal, utilizar esse auxílio não significa que a pessoa está inválida, pelo contrário, ele potencializa a independência de seu usuário.

Além de otimizar a movimentação, poder ir mais facilmente aos lugares ajuda na socialização, proporcionando uma rotina mais prazerosa. Lembrando sempre que a escolha do equipamento adequado deve ser feita junto de um especialista.

6. Cuidados Gerais

Além de cuidados específicos, alguns detalhes também podem funcionar como um diferencial para envelhecer com qualidade de vida.

  • Largar vícios prejudiciais a saúde, como o consumo de bebidas alcoólicas e o tabagismo;
  • Se preocupar sempre com a hidratação, bebendo água com regularidade;
  • Tomar muito sol, já que a obtenção de vitamina D é muito benéfica para o organismo;
  • Adaptar a arquitetura da casa para facilitar as atividades do dia a dia e reforçar os locais de apoio, visando a segurança.

Enfim, pequenos detalhes que aumentem o seu conforto já são um grande diferencial para a rotina e para a potencialização do bem-estar.

Chegar em uma nova fase da vida não é fácil na maioria das vezes. Mas com os cuidados certos, a mudança pode ser algo positivo em nossas vidas. Então, quando chegar a época de se aposentar, planeje sua rotina e fique atento à sua saúde. Para saber mais sobre o processo de aposentadoria, continue em nosso site!

Compartilhe as suas dicas

Bem, agora que você já sabe como envelhecer com qualidade de vida, que tal compartilhar um pouco sobre você? Aproveite o campo de mensagens abaixo e compartilhe a sua história!

Você tem alguma dica de ou hábito que acredita melhorar a sua vida?

Publicações relacionadas

Deixe um comentário

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.